Uma Vez nas Alturas

Uma Vez nas Alturas

Uma cidade perdida nas montanhas. Parece coisa de filme antigo, mas foi esta a sensação que senti quando estive naquele lugar. Considerada uma das sete maravilhas do mundo moderno, além do título de Patrimônio da Humanidade pela Unesco, Machu Picchu é um fabuloso destino de muito tempo atrás.

Nunca estudei quéchua, mas quando a gente viaja, acaba aprendendo um pouquinho da cultura e dos significados. Pois bem, como me disseram, Machu Picchu em quéchua quer dizer Montanha Velha. E neste caso, a velha montanha do Império Inca.

FD-machu-picchu-visao

Localizada a 112 quilômetros de Cusco e a 2.350 metros acima do nível do mar, é um lugar que acaba sendo meio místico e muito curioso. Faz a gente ficar pensando em como será que ela foi construída, quanto tempo levou e como viviam as pessoas naquela época. As certezas não são muitas, meus amigos, mas parece que a cidade foi oficialmente apresentada ao mundo no ano de 1911, pelo explorador Hiram Bingham.

E no meio de todo este mistério e de uma atmosfera diferenciada por causa da altura (sim, haja fôlego), a gente fica sabendo que essas ruínas de grandes construções foram erguidas por blocos de rocha empilhados sem qualquer tipo de cimento, o que faz deste local também um ambiente de muita sabedoria.

FD-machu-picchu

Para chegar a Machu Picchu, pode-se ir de trem até o povoado de Aguas Calientes, e de lá pegar um ônibus, ou pela trilha inca, a pé. Como eu não era lá muito mais novo quando fui, e estava acompanhado da minha querida Gnomíe e das crianças, fomos de trem. Mas quem está com a saúde em dia, e dispõe de tempo para o passeio (pois aí se vão uns quatro dias), acredito que deva ser supimpa o caminho da trilha saindo dos arredores de Cusco.

Tanto encanto e beleza acabam atraindo muita gente para essa região, então, viajantes, ir a Machu Picchu significa planejar com antecedência. Quando eu encontrar uma passagem bacana para aqueles lados, eu aviso vocês. É só ficar de olho nas nossas redes. Um fabuloso abraço!